InícioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Bem vindo!

Imagine uma seita criada para perseguir os herdeiros dos maiores imperios do mundo. Imagine agora uma ilha magnífica, cheia de castelos e chateau's, criada para proteger e educar esses herdeiros. Aqui é o lugar. Principes, duques futuras rainhas ou estrelas de cinema: Estão todos aqui e no colegial. Tramas inacreditáveis estão por vir. Confusão, socos e beijos são mais que confirmados.Seja Bem vindo ao Royality South Island, mais que simples contos de fadas. Porque aqui a realidade é ainda mais interessante!

Tópicos similares
Links Uteis

Gossip, Gossip, Gossip!


Os destaques do mês


The Boy - xxxx


The Girl - xxxx


The Couple - xxxx


The Post - xxxx


The RP - xxxx

Become one!






No copy!

Todo e qualquer conteúdo disposto neste fórum foi criação unica das Admnistradoras. Portanto, é delas o direito exclusivo sobre o Royality South Island. O conteúdo aqui apresentado foi criado a partir de idéias insanas, mas aproveitáveis. Não é admitida, em hipotese alguma, a cópia total ou parcial sem autorização.
Agradecimentos à Deviant Art, que nos deceu as imagens exibidas e ao pessoal que apoiou a idéia. O site não possui fins lucrativos.

ROYALITY SOUTH ISLAND
© 2009


Compartilhe | 
 

 My sweet addiction ... My burning desire.

Ir em baixo 
AutorMensagem
Mia Thermopolis Rinaldi
Rose & Grave
Rose & Grave
avatar

Mensagens : 15
Data de inscrição : 02/06/2010

MensagemAssunto: My sweet addiction ... My burning desire.   Sab Jun 25, 2011 4:15 pm




Foi o melhor primeiro dia de aula ever. A diferença entre nós, realeza ou simplesmente milionários é que funciona até melhor do que em filmes. Eu já devia saber. Perfeito pode nunca ser... e como eu odiei aquele senhor. Não assisti nenhuma aula naquele dia. E nem podia, seriam horas jogadas no lixo. Impossível algo chamar mais a minha atenção, hoje. Nem o conselho conseguiu, levando em conta que eu estava feliz e ansiosa para começar a ter aulas. Já esqueci seu nome, mas nunca irei esquecer que o motivo podia esperar. Eu cheguei atrasada e não tive tempo para alguns documentos, embora meu nome já estivesse matriculado e a chamada em dia. Parece uma piada doentia.

Toquei meus lábios suavemente, lembrando do gostinho de tinta que havia ganhado. O melhor – e único – beijo com gosto de tinta que eu já havia recebido. Dei um sorriso distraído enquanto passada dois dedos em toda a extensão do meu lábio inferior, lembrando que tive de limpá-lo antes de realmente me apresentar a alguém. Não foi justo, loirinha! Ainda não sabia seu nome, mas suspeitava de qual das Order Societys pertencia. Caso estivesse certa... Não quero ao menos fantasiar sobre. Levantei repentinamente da minha cama e corri para o computador, abrindo a internet e começando a digitar. “Princesa da França”, e várias coisas parecidas, até achar uma foto. Dessa achei outra, e mais outra, deixando meu sorriso maior e mais largo com cada comentário em baixo destas. Eu sabia! Bem parecida comigo. Porém, tão diferente...

– “E acredite, você não vai querer ver meu rostinho transtornado. Isso costuma causar umas tempestades bem bravas.” – Eu adorava tempestades. Voltei a pensar no momento que tivemos. Em seus olhos, sua boca, seu toque, seu gosto – que eu ainda não tinha provado diretamente. Agora estávamos quites, ou quase. Tinha denunciado a minha identidade – que foi reforçada pelo intrometido troll – porém agora sabia a dela. Delacroix... Um mundo tão pequeno. Orgulhei-me pela capacidade de reconhecer sua personalidade e logo descrever sua Order. “Ainda; segundo a sua colocação.” – lembrei dessa palavra. Mordi levemente meu lábio inferior, com algumas outras fantasias em mente. Suas expressões matavam-me silenciosamente. Doce tragédia.

Estava distraída quando senti alguma violência ao abrir de portas atrás de mim. Fechei rapidamente a tela aonde se encontrava uma foto um tanto linda de Sam, como se estivesse fazendo algo errado. Era somente minha colega de quarto, Clarissa, mas eu não gostaria de compartilhar meu encontro com mais ninguém a não ser a pessoa que estava comigo nele – exceto Ivanikov, logicamente. Dei um sorriso falsamente interessado e me virei para a dona do meu susto - O que você está fazendo, querida? O que houve? – Ou se preferir – Seus pais não lhe deram educação ao abrir uma porta? – Eu realmente não entendia porque tinha que dividir meu quarto. Mesmo que esta fosse princesa igual a mim, não realmente me importava. Era uma falta de respeito e futuramente me via brigando por quartos privados de presenças não convidadas.

- ... Festa! – Foi a única coisa que eu ouvi. Me desculpe por estar distraída, ta legal? Mas teria uma festa! Conhecendo – muito pouco – Sammantha como conhecia a mim mesma, enxerguei uma bela oportunidade para... recuperar meu lindo broche de ouro e cobre, que tinha sido levado pela artista. Dei um sorriso largo e cheio de segundas intenções, claramente percebido por Clarie, que se animou ainda mais para me levar. Corri para meu guarda-roupa enquanto ela tomava um banho, escolhendo cuidadosamente o que iria vestir. Fiquei brevemente em dúvida sobre short ou saia... Saia! Era curta, mas eu podia me abaixar com ela – se ninguém estivesse atrás de mim. A blusa era decotada o bastante para causar o efeito que eu queria, na pessoa que eu esperava encontrar. Sapatos. Sapatos e mais sapatos... amava cada um deles. Escolhi um preto, fechado, de camurça. Um dos meus favoritos da Coco Chanel. Para finalizar, abri a gaveta buscando a parte de cima da lingerie que eu usava. Era estrategicamente transparente, ficaria perfeito.

Saímos alguns minutos depois de tudo estar pronto. Roupa, maquiagem, cabelo. Nós mulheres só demoramos quando nos convém. Hoje não era um desses dias. Eu queria estar fabulosa, mas a ansiedade que brincava com meu corpo me fazia funcionar com muito mais rapidez. Uma idéia passou pela minha cabeça enquanto passávamos pelas portas dos outros quartos. Eu queria saber aonde ela dormia. Mordi meu lábio inferior experimentando acidentalmente o gosto do meu próprio brilho, imaginando como seria seu quarto. Ela não parecia o tipo que aprovava essa idéia de quartos coletivos. Teria esta feito algo para ter total privacidade? Me ensinaria o truque, certamente.

O Castelo de Rose & Grave era um tanto enorme, com corredores largos e uma decoração muito mais bonita que a do High School. A cor vermelha que predominava parecia esquentar o lugar e todos que nele residiam. Incrível como tinha espaço para todos aqui. Pude me interar mais da história do castelo no dia em que cheguei. Descobri tudo o que podia sobre as outras três Orders e ficar feliz por estar nessa. Todos os castelos tinham salas secretas e espaços estratégicos para minhas aventuras deliciosas que tinham dias contados para começar, começando por hoje a noite. Eu sabia como olharia para Sam quando a viesse de novo... Contendo minha excitação, não tirando os olhos dos dela e dos lábios. Estudaria seu corpo inteiro antes de me aproximar, deixando meus olhos saborearem cada pedacinho antes de chegar tão perto e perder a chance. E além de cobrar meu broche, cobraria a justiça de poder ter seus lábios com o gostinho natural.





Última edição por Mia Thermopolis Rinaldi em Qua Jul 27, 2011 4:18 pm, editado 2 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Sammantha Delacroix
Rose & Grave
Rose & Grave
avatar

Mensagens : 137
Data de inscrição : 13/09/2009

MensagemAssunto: Re: My sweet addiction ... My burning desire.   Seg Jul 25, 2011 6:31 pm


- Te matar ou não te matar, eis a questão. – Ella Sybilla Vanderpoll vociferou de dentro do banheiro. Eu ouvi o barulho das pesadíssimas botas dela tombando no chão de roupas sendo jogadas violentamente ao chão. Violento, tá aí uma palavra que se adéqua muito bem à minha melhor amiga, a duquesa de Ampthill. Não que ela ligue pro título, é válido ressaltar. Eu só acho bonitinho, o que ela costuma negar com bastante força assim que comento. De qualquer forma, ela estava puta comigo naquele momento, e dessa vez ela tinha razão. Bem, nas outras vezes também, confesso. Mas não é como se eu estivesse vendido antecipadamente algum dos órgãos dela ou alguma coisa semelhante a isto. Bem, talvez uma parte em especial, mas não é literalmente! Dei uma gargalhada ao pensar nisso e ela, obviamente, não precisou me ver pra bufar de raiva e voltar a vociferar um zilhão de xingamentos em sueco. – É sério! Eu deveria arrancar seus olhos e costurar essa sua boquinha rosada, sua... sua... tik, smutsiga hora från helvetet! - Eu sempre tive preguiça de sueco, então ela faz questão de usar o dialeto comigo sempre que fica revoltada. Se é que “revoltada” seja a palavra certa.

E o motivo de todo esse ódio? Um cara. Quero dizer, dois caras, mas isso é um outro detalhe. Eu arranjei um encontro pra Ella e ela simplesmente pirou comigo, a criatura mais santa e de boas intenções do mundo inteiro! Haha. A Ella, por ter uma personalidade bem... independente e feminista. E, provavelmente por isso, curte uns caras mais... sensíveis e românticos, por assim dizer. Acabou se apaixonando por Hugh, um príncipe bonitinho da Book & Chess. Só que os meses foram passando na embolação e cortejo e eu simplesmente perdi as estribeiras. Os dois apaixonados sem tomar uma iniciativa? Em que tipo de mundo vivem, mon Dieu? E eu fui lá fazer uma boa ação batendo uma real com Hugh e marcando um encontro deles dois! Tanã, não é perfeito? Bem... Só houve uma complicação. Hugh tem um irmão que é muito parecido com ele. E, sério, como é que eu iria adivinhar que falei com o irmão errado? Não é como se eu ficasse encarando ou algo assim. Ao contrário de Ella, acredito, porque ela ficou bastante piradinha quando o irmão numero dois simplesmente chegou e a beijou. Principalmente quando Hugh pegou os dois juntos. C'est fini. Meu irmão sempre me disse que minhas habilidades de casamenteira são iguais a zero. Ou melhor, tenho um saldo negatívo quando a isso, agora creio.

- Vocês não podiam, sei lá, fazer um menage a trois? Que tal, hã? – Eu arrisco dizer, ainda prendendo o riso, enquanto folheio uma revista em cima da minha cama. Ouço outro rugido furioso findo do banheiro e faço uma careta. Por causa do esquema todo, acabamos voltando tarde pro Chateau e agora já passava das onze. ONZE! Ai porra, a festa! Dei um pulo da cama e, parecendo algum tipo de aviso miraculoso, meu celular começou a tocar, avisando nova sms. Capiturei o minúsculo aparelho e a tela avisava claramente que eu tinha pisado na bola de novo. Você tem 12 Mensagens Novas.

C'est quoi ce bordel! Eu não poderia perder, por nada, a festa que eu mesma ajudava a organizar, droga! O fato é que, na primeira sexta feira de cada mês, os residentes da R&G gostavam de... comemorar. Tá, talvez não seja essa a palavra. As nossas reuniões particulares eram exatamente o que o nome indicava: Extremamente íntima e, por mais que alguns gostassem de negar, elitistas. O que fazer sobre o assunto? Melhor abraçar do que renegar, não é o que dizem por aí? Eu me adequo muito bem à minha irmandade, sobretudo por ser a herdeira sanguínea do cara que fundou o esquema todo, pra início de conversa. Definitivamente abracei a causa e me deixo levar pela forma com que as coisas correm na Roy. O melhores entre os melhores. Era como as nossas reuniões seguiam. Isso e muitas doses de whisky envelhecido, ecstasy e tequila contrabandeada.

Meia hora depois eu estava dando uns retoques finais na maquiagem. Eu sei, eu sou basicamente a The Flash em se arrumar quando estou atrasada pra uma festa, é incrível. Eu sou. E, acredite em mim, o resultado desses pouquíssimos minutos não foi nada ruim. Optei, claro, por um dos meus zilhões de shorts jeans. Esse, em particular, ficava bem colado ao meu corpo e valorizava as minhas pernas alvas. Coloquei uma blusa no estilo oversized, que era suficientemente curtinha e mostrava metade do meu umbigo, e escolhi meus saltos Azzedine Alaïa Raffia marrons bem altos. Depois de por alguns acessórios, brincos dourados e uma boa quantidade de anéis (inclusive um dos meus favoritos, que era no formato de um caixão e possuía uma pequena rosa desenhada no meio, simbolisando a R&G), fui pra frente do espelho e dei uma ajeitada no cabelo, deixando-o solto e com ondas naturais. Coloquei um gloss fraquinho e muita maquiagem escura nos olhos, deixando-os extremamente marcados e valorizados. Perfeito.

- Eu tô saindo. Tem certeza de que não quer ir? Acho a oportunidade perfeita pra você, tipo, cair no cabaré e esquecer o seu... – Parei de olhar quando vi o olhar mortal que ela me enviou. Ergui as duas mãos pra cima e fiz uma expressão inocente – Certo, você é quem sabe. Vou guardar um baseado pra você. – Me virei e caminhei pra fora do quarto. Era quase meia noite e, apesar de ouvir um barulhinho vindo de lá de baixo, na sala e TV, o Chateau estava silencioso. Isso porque a acústica dentro das torres do castelo eram inacreditavelmente isolantes, 90% do som era abafado pelas paredes de pedra e a altura. Caminhei direto pra lá, já que de certeza a festa já havia começado. Eu não costumava me atrasar, mas como dessas vez eu havia deixado tudo pronto com os fornecedores particulares e tudo mais, não haveria problema nenhum. Era só chegar e relaxar. E, de preferência, topar com uma pessoa que eu estava me contorcendo de vontade de rever.

Eu estava pensando nela quando bati na grande e pesada porta da torre. E quando eu entrei, isso não havia mudado. O ambiente cheirava a fumaça, álcool e uma mistura de iguarias culinárias e eu gostei de ser saudada por Eyes Set To Kill tocando às alturas. Sorri e, maliciosamente, corri meu olhar pelo local, procurando.

TAGGED:Hello party! LYRICS: Darling, by Eyes Set To Kill. OUTFIT: Check it ou!




Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://shadowlandtales.forumeiros.com/
Mia Thermopolis Rinaldi
Rose & Grave
Rose & Grave
avatar

Mensagens : 15
Data de inscrição : 02/06/2010

MensagemAssunto: Re: My sweet addiction ... My burning desire.   Qua Jul 27, 2011 7:44 pm




Para a minha surpresa – e devo dizer alívio – a festa não passava de uma, digamos, reuniãozinha íntima. A quantidade de pessoas dizia isso, pelo menos. E pelo que Clarisse me disse, não passaria disto. Dei um sorriso animado e observei cada cantinho da torre. Era, além de linda, muito bem decorada e bem animada – o que destoava com minha idéia de “reuniãozinha íntima”. Minha princesinha sabia dar uma festa... A música combinava perfeitamente com o momento, e trazia aquela energia que procurávamos. Em poucos segundos consegui me perder – propositalmente – de Claire, e corria meus olhos à procura da organizadora. Queria dar meus parabéns, o que tem demais nisso?! Infelizmente ela não estava lá...

Dei um suspiro decepcionado, mas sem mudar a expressão em meu rosto. Caminhei um pouco até uma das mesas que mais chamaram minha atenção, talvez pelo cheiro. Se fosse só pela comida, diria que esta era a festa mais legal que eu já tinha ido. Tinham pratos de outros países ali, e alguns eu ainda não tinha provado, embora soubesse por alto. Decidi experimentar, já que teria de passar o tempo esperando pela anfitriã. Sim, quis dar esse crédito a ela e achar que tudo isso tenha vindo daquela com olhos felinos. Até porque fiquei sabendo de suas costumeiras festas por aqui. Não fiz cara feia para nenhuma iguaria daquela mesa, todas estavam deliciosas, mesmo as que não conhecia e tinha acabado de provar. Para finalizar, experimentei um doce de chocolate e tequila, o que matava minha vontade e minha cede ao mesmo tempo.

Ainda estava me deliciando com essa mistura, quando as portas se abriram e mostraram uma loirinha que transbordava prazer – bom, ou o prazer era meu, mas isso não vem ao caso. Dei um sorriso ladino por sua presença, e só então fui observar suas roupas, que deixaram um leve arrepio tomar conta do meu corpo – assim como alguns pensamentos. A vista maravilhosa combinava perfeitamente com o doce que minha boca provava, mesmo que este já estivesse no seu fim. Deixei de lado a taça vazia enquanto continuava a olhá-la em todos os seus detalhes, principalmente os que estavam à vista, como suas pernas. Acredito que tenha demorado um pouco a reparar que seus olhos já tinham encontrado os meus. Entretanto, assim que os vi, deixei claro os pensamentos que passavam pela minha cabeça – ou ao menos deixei claro que de que tipo eles eram.

Caminhei lentamente até esta, me desviando habilmente daqueles que ousavam cruzar o caminho que tinha decidido seguir. Vez ou outra desviava meus olhos dos seus, até seu corpo, como se a tivesse elogiando pela escolha de trajes – principalmente por serem tão curtos. O bom de estar em sua presença, era o fato desta já conhecer o meu jeitinho livre de pudores, além, claro, de poder saborear com os olhos – e os pensamentos – tudo o que ela tinha para mostrar.

Acho que te conheço de algum lugarzinho... Você costuma vir sempre aqui? – Perguntei ao chegar bem pertinho, até demais, enquanto um sorriso carregado de malícia se transformava em uma mordidinha no meu próprio lábio inferior. Minhas mãos estavam na parte detrás dos bolsos da curta saia, e nossos corpos ficaram mais perto do que de costuma – digo, pra outras pessoas. Nós... bom, já estávamos acostumadas. Eu estava, pelo menos.


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: My sweet addiction ... My burning desire.   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
My sweet addiction ... My burning desire.
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» [Single] Katy Perry - Desire a Dream
» World of War Craft: The Burning Crusader
» [FanFic] Pokémon Burning Shock Tales
» [WW] KATY PERRY - Jimmy Kimmey Live! (Promoting 'Desire a Dream' and much fun!)

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Royality South Island :: Chateau Rose&Grave-
Ir para: